terça-feira, 30 de janeiro de 2007

Novela Lisboeta

Há meia dúzia de dias atrás, Carmona Rodrigues afirmou que estava plenamente tranquilo em relação às investigações levadas a cabo pela Polícia Judiciária e que o executivo camarário tinha todas as condições para continuar com o seu programa.

Agora, surge a notícia de que o Presidente da Câmara de Lisboa admite demitir-se, caso o seu braço direito seja constituído arguido no caso que envolve a venda e permuta dos terrenos do Parque Mayer e da Feira Popular.

Afinal, Sr. Presidente, em que é que ficamos? Há ou não condições?

1 comentário:

H.R. disse...

Tudo depende... Se o braço direito é ou não constituído arguido (o que até nem significa necessariamente que seja acusado de algo).

http://helderrobalo.blogspot.com/