quarta-feira, 19 de março de 2008

Não vou trabalhar

Muita da populaça cá do burgo passa a vida a queixar-se da porcaria de emprego que tem, dos parcos salários e, em muitos casos, da falta de emprego, propriamente dita.

Como em tudo, há sempre a excepção à regra e gente há, por este país fora, que tendo um emprego, que tanta falta faz a outros, tudo faz para o perder, como é o caso dum tresloucado de Guimarães (tresloucado, sim, porque doidivanas é pouco) que, só porque não lhe apetecia ir trabalhar, decidiu imolar-se pelo fogo.

Ao estorricado deixo os meus votos de rápida recuperação e o conselho de que prescinda de pôr semelhante habilitação técnica no seu curriculum vitae, já que tal causará, sem dúvida, uma péssima impressão junto de potenciais futuros empregadores.

1 comentário:

Mac Adriano disse...

Eu, se fosse empregador, contratava-o. Afinal, é mesmo de um gajo destes que eu precisava para limpar o sarampo ao Sótraques.